Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009

Cinema Indiano

Cinema hindi (Bollywood)

A indústria cinematográfica hindi, baseada em Mumbai (anteriormente conhecida como Bombay, ou Bombaim), é o maior ramo do cinema indiano. A indústria hindi é às vezes chamada de Bollywood (mistura de Hollywood com Bombay). A palavra Bollywood é por vezes aplicada ao cinema indiano com um todo, no entanto esta designação é incorreta, visto que se refere apenas ao cinema de língua hindi. Bollywood tem sido muito criticada pelo que é visto por alguns como uma violação dos valores culturais indianos e pela sua discussão de temas controversos. Esta é considerada a mais liberal entre as várias indústrias cinematográficas indianas.

Embora Bollywood distribua menos filmes do que algumas indústrias regionais de cinema, é a maior em termos de público. Acredita-se que os filmes de Bollywood sejam os mais vistos pela maioria dos frequentadores de cinema na Índia. Têm também um grande reconhecimento internacional, especialmente no Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e Austrália onde existem grandes comunidades do sul da Ásia
.

 

Cinema telugu (Tollywood)

A indústria cinematográfica telugu é baseada na capital do estado de Andhra Pradesh, Hyderabad e é a segunda maior indústria da Índia, logo depois do cinema hindi. Este estado também afirma ter o maior estúdio cinematográfico do mundo, o Ramoji Film City.

Uma importante personalidade do cinema telugu foi Y. V. Rao (1903 – 1973), que foi ator e director e dirigiu os filmes mudos Pandava Nirvana (1930), Pandava Agnathavaas (1930) e Hari Maya (1932). O primeiro filme sonoro telugu foi Bhakta Prahlada, dirigido por Hanumappa Munioppa Reddy em 1931. Nos primeiros anos dos filmes sonoros telugu, estes eram quase todos histórias mitológicas, filmadas num palco. Em 1936, Krittiventi Nageswara Rao fez o filme Premavijayam, o primeiro filme telugu não baseado em mitologia. Este filme inaugurou uma nova fase no cinema telugu, aumentando o leque de temas abordados. Alguns temas populares passaram a ser o sistema feudal zamindari (retratado no fime Raitu Bidda, 1939), a intocabilidade (abordado no filme Maala Pilla, 1938), e o casamento de viúvas.

Na indústria telugu, directores tal como Kasinaduni Viswanath, Ram Gopal Varma, Jandhyala, Krishna Vamsi e Singeetam Sreenivasa Rao alcançaram um grande sucesso nas bilheteiras produzindo filmes que misturam equilibradamente a arte e os elementos do cinema popular.

Os filmes telugu são geralmente lançados nos estados indianos de Adhra Pradesh, Karnataka, Maharastra Oriental, Orissa e em algumas partes do Bengal Ocidental. Além disso também costumam ser lançados em outros países especialmente nos Estados Unidos, Canadá, partes da Europa, África do Sul, Malásia e Singapura.

 

Cinema tamil (Kollywood)

A indústria cinematográfica tamil (conhecido como Kollywood), é baseada na área de Kodambakkam na cidade de Chennai e é uma das maiores indústrias da Índia. Em termos de popularidade e lucros, a indústria de cinema Tamil é a terceira, ficando atrás apenas do cinema Hindi e Telugu. Os filmes tamil têm desfrutado de uma popularidade consistente entre a população de língua tamil na Índia, Sri Lanka, Singapura, Malásia e Maurícia. Os filmes tamil também têm fama em países nos quais existem comunidades imigrantes tamil tal como nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e alguns países europeus.

Várias personalidades desta indústria conseguiram atingir fama nacional como no caso de Mani Ratnam, Selvaraghavan, A. R. Rahman, S. Shankar, Ravi K. Chandram e Jeeva. Muitas das atrizes de Bollywood fizeram a sua estreia em Kollywood, como por exemplo no caso de Aishwarya Rai que estreou no filme Iruvar, Priyanka Chopra que estreou em Thamizhan, Lara Dutta em Arasatchi e Sushmita Sen em Ratchagan. Também muitas atrizes fizeram filmes tamil enquanto lutavam pelo sucesso em Bollywood, como no caso de Kajol e da sua irmã Tanisha, assim como Amisha Patel.

A indústria cinematográfica tamil representa 1% do PIB do estado de Tamil Nadu. Os custos de produção cresceram exponencialmente de apenas 4 milhões de rupias em 1980 para 110 milhões em 2005, no caso de um típico filme recheado de estrelas. Tem também havido uma crescente presença de palavras e frases inglesas nos diálogos e músicas. Os filmes também são lançados simultaneamente em duas ou três línguas regionais (seja usando legendas ou várias faixas de áudio), e também muitos filmes costumam ser dublados em telugu e hindi.

 

 

Cinema Bengali

A história do cinema bengali vem desde a década de 90 do século XIX quando ocorreram as primeiras projecções em Calcutá. Depois de uma década, as primeiras sementes da indústria foram lançadas por Hiralal Sen, quando este fundou a Royal Bioscope Company, que produzia cenas de várias representações teatrais populares do Star Theatre, Minerva Theatre e do Classic Theatre. Muito tempo depois do trabalho de Sen, Dhirendra Nath Ganguly estabeleceu em 1918, a Indo British Film Co, a primeira produtora bengali. Contudo a primeira longa-metragem bengali, Billwamangal, foi produzido em 1919, pelo Mangal Theatre. Bilat Ferat, foi a primeira produção da IBFC, em 1921. A produção do New Theatre, o filme Dena Paona foi o primeiro filme sonoro bengali. Depois disso atravessou-se uma longa história como nomes tais como Satyajit Ray, Mrinal Sen e Ritwik Ghatak e outros que ganharam fama internacional assegurando o seu lugar na história do cinema. Hoje existem duas indústrias de cinema na língua bengali, uma em Kolkota (Calcutá), na Índia e outra menos conhecida em Dhaka, no Bangladesh (chamada de Dhallywood). A indústria de cinema bengali à muito que é centrada em Tollygunge, um distrito de Kolkata, por isso a indústria de cinema bengali também é popularmente conhecida como Tollywood, mistura das palavras Hollywood e Tollygunge.

Os filmes bengalis costumam estar entre os favoritos do júri dos Prémios Nacionais de cinema, quase todos os anos sem excepção. Algumas das personalidades mais populares do cinema bengali incluem Kishore Kumar, Mithu Chakraborty, Uttam Kumar, Soumitro Chatterjee, e mais recentemente Proshenjit. Alguns outros bengalis que foram bem sucedidos são Ashok Kumar, Bimal Roy, Aparna Sen, Shchitra Sen, Hemanta Mukherjee, Maan Dey, Sandhya Mukhopadhyay e Rituparno Ghosh.

 

Cinema marathi

A indústria de cinema marathi é uma das mais antigas da Índia. Originou-se em Nasik e desenvolveu-se em Kolhapur e Pune, mas recentemente mudou-se para Mumbai.

Dadasaheb Phalke, reconhecido como um dos pais do cinema indiano, foi um pioneiro dos filmes em marathi. Ele produziu o primeiro filme mudo indiano e mais tarde alguns sonoros em marathi. Em sua homenagem existe hoje um prémio muito desejado o “Prémio Dadasaheb Phalke” que é entregue anualmente em reconhecimento de alguma contribuição excepcional para ao cinema indiano.

Os anos 40 e 50 foram a época clássica do cinema marathi, principalmente devido a algumas produções marcantes da agora extinta Prabhat Film Company em Kolhapur. Como uma derivação da Prabhat, V. Shantaram fundou os Rajkamal Studios em Pune, e produziu alguns excelentes filmes marathi no final da década de 50 e início da década de 60.

Devido à ascensão do cinema hindi em Bollywood, a indústria de cinema marathi entrou em declínio nos anos 80 e 90. Mas recentemente começou a reviver com alguns filmes de qualidade como Shwaas (que ganhou a nomeação indiana oficial ao Oscar em 2004), Pak Pak Pakaak (que ganhou troféu Swarovski em Singapura, em 2005), Uttaraayan, Aga Bai, Arecchaa, Shubhamangal Saavdhaan, e Saatchya Aat Gharaat.

 

Cinema malayalam

A indústria de cinema malayalam, é baseada em Kerala, estado do Sul da Índia. Os filmes malayam são conhecidos pela sua natureza artística e frequentemente figuram na entrega de prémios cinematográficos nacionais. Esta indústria também é conhecida como sendo a mais conservadora da Índia, apesar de ter passado por uma fase liberal nos anos 80.

 

Cinema kannada

A indústria de cinema kannada, é baseada em Karnataka, é também chamada de Sandalwood, visto que Karnataka é conhecida pela sua madeira de sândalo; contudo este termo não tem muita aceitação. A Gubbi Veerana Comapny e outros grupos estabeleceram-se primeiro como companhias teatrais, e mais tarde passaram a dominar o cinema kannada nos anos 60. O primeiro grande sucesso do cinema Kannada foi uma adaptação de uma peça de teatro da companhia Gubbi, escrita por G. V. Iyer. Os filmes kannada tornaram-se muito populares depois de êxitos como Jogi (2005) e Mungaru Male (2007).

 

 

publicado por Action às 13:54
link do post | comentar | favorito

.Juzé

.posts recentes

. Endhiran - O Robot

. What's Your Raashee?

. Blue

. Cinema Indiano

. Receitas de Bilheteiras

. Livro : Bollywood Today

. Actor : Shahrukh Khan

. Revista : Filmfare

. Música das Indias

. Filme : DHOOM

. Produtora : Yash Raj Film...

. Actriz : Mallika Sherawat

.links

.arquivos

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

.pesquisar

.arquivos

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.subscrever feeds